Feeds:
Posts
Comentários

Tristeza

Depois de acompanhar esse caos que está acontecendo no Rio de Janeiro, e ler inúmeras notícias, selecionei uma que me tocou bastante.

Uma realidade muito comovente. Mesmo sem conhecê-los, senti muita tristeza lendo isso.
E só de imaginar que aconteceu com várias famílias, é horrível.

A notícia completa pode ser lida clicando aqui:
http://g1.globo.com/Noticias/Rio/0,,MUL1562776-5606,00-ELE+ME+CHAMOU+DIZ+PAI+DE+MENINO+DE+ANOS+MORTO+APOS+DESLIZAMENTOS+NO+RIO.html

Espero que leiam.

Bruno Quadros.

Anúncios

Tempo.. Sem ele

Como estou sem muito tempo para postar, resolvi postar um vídeo do motivo da minha ausência.
Não que eu esteja com essa doença, mas estou estudando para ajudar aos que tem.
Vale a pena da uma olhada!

 

Os números que utilizamos no dia-a-dia são chamados algarismos arábicos. Isso para diferenciar dos algarismos romanos ( I, IV, XV..).

Os algarismos arábicos foi difundido pelos Árabes, mas a sua origem data desde os tempos dos fenícios, onde eram utilizados para fazer a contabilidade comercial.

Mas você já se perguntou por que “um” é 1, “dois” é 2, “três” é 3… ?

É fácil! A lógica utilizada nos algarismos arábicos é a quantidade de ângulos que ocorre dentro dos números. Ou seja, os algarismos foram criados de acordo com a quantidade de ângulos existentes neles.
Veja os exemplos: 
Clique nas imagens para ampliá-las!

Interessante, não?!
As vezes utilizamos coisas no nosso cotidiano que não sabemos sua verdadeira origem. Nunca é tarde para aprender!

escrito por: Bruno Quadros.

O sistema de cotas nas universidades brasileiras teve início em 2001. De lá pra cá muitos estudantes (brancos ou não), professores e intelectuais da área, levantaram algumas dúvidas sobre isso: será que realmente vai funcionar? Isso não é uma outra forma de preconceito? Com vários prós e contras criados pela sociedade, sabe-se que até hoje o sistema de cotas está em vigor em nosso país.

Muitas pessoas, principalmente as negras, aprovam o sistema de cotas. Uma das principais justificativas é que a sociedade está “pagando” pelo que os negros sofreram na época da escravidão no Brasil. Essa justificativa gera transtornos, visto que essa “forma de pagamento” não atinge aos que realmente sofreram com isso. Muitos negros não têm nem acesso a uma escola, e quando têm é de péssima qualidade.

Contrapondo a idéia anterior, a grande massa populacional crê que isso é só mais uma forma de preconceito. O fato de “oferecer cotas” levanta a suposição de que o negro é incapaz e marginalizado. O que é um absurdo. O mérito do candidato deve ser a única forma de avaliação, ao invés da sua cor.

Em vez do governo oferecer cotas, como está fazendo, deve ir direto a raiz do problema. As escolas públicas. Sabe-se que as escolas públicas do nosso país está em uma situação de calamidade total. A falta de investimento do estado nelas, gera toda essa polêmica. Se uma escola pública tiver a qualidade de ensino semelhante ou quase igual a de uma escola de “elite”, todos os candidatos concorreriam às vaga de forma igual, sem precisar criar diferentes blocos.

O sistema de cotas não está funcionando. As pessoas já estão ciente que essa é apenas uma forma do estado mascarar o verdadeiro problema das escolas públicas, que será mais trabalhoso de solucionar, por isso as cotas. Em quanto o estado esconde, a sociedade sofre com isso. O direito de igualdade é para todos, independente de raça, situação financeira etc. Embora sabemos que isso não funciona no nosso país.

escrito por: Bruno Quadros.

Hoje, trago a vocês uma campanha feita pelos alunos da UFBa (Universidade Federal da Bahia) e também alunos de fora, chamada Trote Solidário. O Trote Solidário é uma campanha, como eu havia dito, semestral de doação de sangue, que tem como principal objetivo conscientizar a população a doar sangue e abastecer a HemoBa (Fundação de Hemoterapia e Hematologia da Bahia) para atender aos hospitais da grande Salvador.

Atualmente a HemoBa possui um estoque abaixo da média para todos os tipos sanguíneos, dificultando a população que precisa dessas doações.

Para esclarecer algumas dúvidas, segue abaixo algumas informações importantes sobre a doação de sangue:

O que é preciso para doar

  • Ter e estar com boa saúde.
  • Não ter ou não ter tido hepatite, doença de Chagas, sífilis, malária ou AIDS.
  • Ter idade entre 18 e 60 anos.
  • Pesar acima de 50kg.
  • Não estar exposto a situações de risco (vários parceiros sexuais, usar droga, ter parceiro sexual portador do vírus da AIDS).
  • Apresentar documento de identidade oficial.
  • Não estar grávida ou amamentando.

É preciso saber

  • Não existe substituto para o sangue.
  • Seu sangue jamais será vendido.
  • Quem doa sangue uma vez, não tem necessidade e nem é obrigatório doar sempre.
  • Um doador pode doar sangue até quatro vezes por ano.
  • Doar sangue não engorda nem emagrace, não afina nem engrossa o sangue, não vicia e faz bem para a consciência.
  • O doador tem o direito de receber um atestado médico e a carteirinha de doador.

Preparação para doação

  • Dormir bem a noite anterior à doação.
  • Não ingerir bebida alcoólica12 horas antes da doação.
  • Não estar em jejum.
  • Pela manhã você pode tomar café normalmente.
  • Após almoço ou jantar, aguarde 3 horas.

Como é a doação

  • A coleta é feita com materia descartável.
  • A doação de sangue não dói.
  • Não há riscos de adquirir doenças.
  • Após doar sangue, o doador volta às atividades normais.
  • Ao doar sangue, você será orientado e acompanhado por experientes profissionais de saúde.

É seguro doar sangue

  • Antes da doação, o candidato será avaliado esomente doará se estiver em condições.
  • A quantidade de sangue doada é de aproximadamente 450ml.
  • O sangue doado passa por exames laboratoriais.
  • Todo sangue retirado é reposto pelo organismo.
  • A coleta é realizada em um ambiente limpo, confortável e acolhedor.

Atenção
Quando for doar sangue, lembre-se de responder corretamente às perguntas durante a entrevista. O sangue seguro começa com as informações seguras.

Seja solidário. Doe Sangue. Doe Vida.

escrito por: Bruno Quadros.
fontes: www.hemoba.ba.gov.br, www.huav.com.br

Fuga

Quero ir embora desse mundo!
Fugir para um lugar calmo e tranquilo
Onde todas as crianças brinquem sem medo
E que todos os dias sejam inesquecíveis.

Não posso ir a Parságada,
Lá não sou amigo do rei.
Mas posso criar meu próprio cantinho
Onde só irá entrar quem escolherei.

Mas saibam que as portas sempre estão abertas
Afinal, no nosso mundo tudo é possível
Se possível fosse fugir deste…

Ir embora já não posso mais
Tenho que viver como todos vivem
Em meio ao caos desse mundo livre.

escrito por: Bruno Quadros.

O homem mal-educado

“O homem mal-educado

O mal-educado não tirava o chapéu em nenhuma situação. Nem às senhoras quando passavam, nem em reuniões importantes, nem quando entrava na igreja.
Aos poucos a população começou a ganhar repulsa pela indelicadeza desse homem, e com os anos esta agressividade cresceu até chegar ao extremo: o homem foi condenado à guilhotina.
No dia em questão colocou a cabeça no cepo, sempre, e orgulhosamente, com o chapéu.
Todos aguardavam.
A lâmina da guilhotina caiu e a cabeça rolou.
O chapéu, mesmo assim, permaneceu na cabeça.
Aproximaram-se, então, para finalmente arrancarem o chapéu àquele mal-educado. Mas não conseguiram.
Não era um chapéu, era a própria cabeça que tinha um formato estranho”.

TAVARES, Gonçalo M. O Senhor Brecht. Rio de Janeiro: Casa da Palavra, 2005. p.20.